Flacidez da pele acontece por um processo de envelhecimento natural, mas alguns fatores comportamentais contribuem para a aceleração desse indesejado processo

O sedentarismo ou a dificuldade em criar uma rotina de prática de exercícios físicos são um dos principais inimigos de quem está desejando melhorar o aspecto da pele e a flacidez é uma das maiores preocupações, podendo ser dividida em dois tipos. A flacidez muscular ocorre devido ao sedentarismo e é agravada pelo envelhecimento, quando há perda progressiva de massa muscular. Já a flacidez de pele é a perda de elasticidade e sustentação da pele e é considerada um fator agravante de uma das mais temidas situações, especialmente entre as mulheres: a celulite.

Segundo a médica dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Secção RS (SBD-RS), Taciana Dal’Forno Dini, a celulite é uma condição inestética caracterizada por alterações de relevo da pele em áreas corporais que possuem maior quantidade de gordura como nádegas, coxas e abdome. Esta condição confere à pele um aspecto acolchoado, com áreas deprimidas alternadas com áreas elevadas. Ocorre principalmente nas mulheres, que possuem o colágeno da derme menos espesso e lobos de gordura subcutâneos maiores, o que proporciona menor firmeza à pele em relação aos homens.

“Uma característica feminina também é a presença de septos fibrosos perpendiculares à superfície cutânea, localizados no tecido gorduroso, que tracionam a pele para baixo e causam as lesões deprimidas (os furinhos), característicos da celulite”, explica.

A flacidez é um fator agravante da celulite, responsável pelo aspecto cutâneo pregueado que ocorre progressivamente com o passar dos anos, devido à reabsorção dos tecidos e a perda progressiva de colágeno na derme. As regiões mais comumente afetadas são a face, o pescoço, o colo, os braços, o abdômen, a região medial das coxas, a porção inferior das coxas (acima dos joelhos) e as nádegas.

Vários tratamentos estão sendo desenvolvidos para o tratamento da celulite e da flacidez. Alguns estão bem estabelecidos e respaldados por estudos científicos, como a Subcision para as lesões deprimidas da celulite e a radiofrequência, as ondas acústicas e o ultrassom focado de alta intensidade para a flacidez de pele e, ainda, o campo eletromagnético para a flacidez muscular. Outras tecnologias e produtos, como os lasers e bioestimuladores, são novas propostas de tratamento para a flacidez de pele, com resultados promissores.