A fotoproteção é o principal cuidado para a pele albina

Câncer de pele em albinos pode ocorrer de forma precoce e grave

Por se tratar de uma alteração genética onde o paciente tem ausência ou diminuição de melanina, o Albinismo exige que os cuidados com a pele sejam redobrados, pois, como a pigmentação da pele é responsável pela proteção do sol, os albinos têm maiores chances de desenvolver câncer de pele. A médica dermatologista e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Secção RS (SBD-RS), Clarissa Prati, alerta que o cuidado com a fotoproteção precisa ser intenso e comportamental.

– O paciente precisa observar uma série de medidas protetoras quando falamos do contato com os raios solares. É preciso não se expor diretamente no período das 10h às 16h, utilizar chapéus, óculos de sol, pois, dependendo dos casos, os olhos também exigem proteção. Em áreas onde não é possível cobrir com roupas, como o rosto, as mãos e, eventualmente, o dorso dos pés, os protetores solares precisam ser utilizados – orienta a médica.

A vice-presidente da SBD-RS também salienta que, quanto mais precoce a compreensão em relação aos cuidados for, melhor para o albino, pois, nas crianças já é possível identificar se há a alteração genética ou não. Isso permite aos pais, quando verificarem isto em seus filhos, darem início de forma antecipada às medidas de proteção e de comportamento.

Celebrado 13 de junho, o Dia Mundial de Conscientização do Albinismo busca divulgar informações sobre o albinismo, que não tem cura, mas pode ter seus efeitos amenizados. No mundo, cerca de 20 mil pessoas têm algum tipo de albinismo.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Sobre a SBD/RS

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) é a única instituição reconhecida oficialmente pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Médica Brasileira (AMB) como representante dos dermatologistas no Brasil. Os médicos dermatologistas a ela ligados precisam obter o Título de Especialista que atesta a sua capacitação.

 

A secção SBD-RS é a sua representante no território do Rio Grande do Sul.

Publicações recentes

Conecte-se