Álcool gel é aliado importante no combate a doenças, mas requer cuidados com a pele

Uso muito intenso provoca ressecamento da pele

Eficaz na assepsia, o produto não tem contra-indicação, mas para quem utiliza com muita frequência é indicado que sejam tomadas medidas de hidratação da pele. O alerta é importante uma vez que, por causa das constantes notícias de propagação do coronavírus e outras doenças respiratórias, há um uso mais intenso do álcool gel como medida preventiva.

A dica é válida, por exemplo, para os profissionais da saúde ou que tenham contato muito frequente das mãos com outras pessoas.

“O álcool gel é utilizado para evitar as contaminações e também é uma forma de higienizar as mãos e braços quando não há condições de lavar. É eficaz na antissepsia. Porém, o uso excessivo, realmente causa ressecamento na pele. Então, as pessoas que estão usando mais devem intensificar o uso de hidratantes. Após a aplicação do álcool gel é preciso esperar porque ele evapora e depois pode ser usado o hidratante adequado e indicado por um dermatologista”, explica a presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Secção RS (SBD-RS), Taciana Dal’Forno Dini.

Também é importante observar o cuidado nas pessoas que têm a pele mais sensível e que são alérgicas. Nesses casos o melhor é usar álcool gel sem cor ou perfume.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Sobre a SBD/RS

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) é a única instituição reconhecida oficialmente pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Médica Brasileira (AMB) como representante dos dermatologistas no Brasil. Os médicos dermatologistas a ela ligados precisam obter o Título de Especialista que atesta a sua capacitação.

 

A secção SBD-RS é a sua representante no território do Rio Grande do Sul.

Publicações recentes

Conecte-se