Diversão aliada ao cuidado com a saúde

Sociedade Brasileira de Dermatologia dá dicas para aproveitar as festas sem descuidar da pele, cabelos e unhas

O jeito que cada um aproveita o feriadão pode variar, mas uma coisa é fundamental. Cuidando da saúde, é possível aproveitar muito melhor, seja em escolas de samba, blocos, atrás do trio elétrico ou festas.

O primeiro alerta é que a folia cai em um período de muito calor e sol. Por isso, é imprescindível o uso de filtro solar, que deve ser reaplicado a cada hora se há excesso de suor ou contato exagerado com água, ou a cada 3 ou 4 horas em condições normais. Evitar sempre a exposição solar desprotegida entre as 9 e 15 horas. Para o cuidado dos cabelos e couro cabeludo, o ideal é utilizar bonés e chapéus, que ajudam muito na proteção solar.

Brilhos, maquiagens, pinturas, espumas, sprays de pintar cabelo e fantasias são alguns acessórios que podem causar alergias. Por isso é preciso um cuidado.

“A maquiagem utilizada deve ser dermatologicamente testada e estar dentro do prazo de validade. Maquiagens de origem duvidosa ou vencidas aumentam o risco de reações alérgicas, principalmente durante a exposição solar. Pessoas com pele oleosa devem procurar produtos com base oil-free (livres de óleo) e as com pele seca podem utilizar produtos mais hidratantes”, explica a presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Secção RS (SBD-RS), Taciana Dal’Forno Dini.

Pinturas na pele devem ser feitas com marcas específicas para utilização na pele, dando preferência para as antialérgicas e com base de água. Os produtos não devem conter metais pesados na formulação, como o chumbo e precisam ter regulação na Anvisa. Tintas guache não devem ser utilizadas diretamente na pele. Glitter e purpurina podem ser utilizados com moderação, procurando não aplicar na pele próxima aos olhos ou cílios, pois podem provocar vermelhidão, alergia ou lesão na córnea. A maquiagem não deve ser compartilhada, pois pode disseminar infecções como herpes, verrugas, foliculites e conjutivites.

“A alergia ocorre quando a pessoa já foi sensibilizada previamente por algum produto químico da formulação utilizada, iniciando com coceira, vermelhidão e inchaço no local aplicado ou até em regiões distantes. Caso isso ocorra, é muito importante lavar imediatamente a pele, retirando totalmente o produto”, finaliza Taciana.

Na persistência dos sintomas, o médico dermatologista é o profissional indicado para o diagnóstico e tratamento.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Sobre a SBD/RS

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) é a única instituição reconhecida oficialmente pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Médica Brasileira (AMB) como representante dos dermatologistas no Brasil. Os médicos dermatologistas a ela ligados precisam obter o Título de Especialista que atesta a sua capacitação.

 

A secção SBD-RS é a sua representante no território do Rio Grande do Sul.

Publicações recentes

Conecte-se