Evento retrata os desafios para o tratamento de doenças dermatológicas

Ao longo de dois dias especialistas renomados apresentam aulas voltadas à especialidade

Diferentes condutas e inovações em medicações e procedimentos foram destaques ao longo da programação do primeiro dia da 46a Jornada Gaúcha de Dermatologia, 4o Simpósio Gaúcho de Terapêutica e Imunobiológicos e 5a Jornada Multisserviços nesta sexta-feira (18/03).

O acesso aos imunobiológicos foi o tema da primeira apresentação da tarde. A médica Juliana Boza detalhou como conseguir o acesso às medicações tanto no setor público como no setor privado. Na sequência, Jaquelini Barboza falou dos cuidados a serem tomados e exames a serem solicitados antes de prescrever os imunobiológicos, bem como as particularidades de prescrição de cada uma das medicações.

A aula de Luciane Prado Vargas foi sobre vacinação em pacientes em uso ou com indicação de uso de imunobiológicos. A médica apresentou as condutas a serem seguidas com cada tipo de vacinas existente hoje no Brasil, entre elas as da COVID-19.

O médico André Vicente Esteves de Carvalho mostrou a relação de biológicos disponíveis para o tratamento da psoríase. Também detalhou os percentuais de eficácia na escala de tempo.

Leandro Linhares Leite discorreu sobre os efeitos colaterais mais comuns com os biológicos na psoríase e como manejá-los. Em sua apresentação reforçou que não há comprovações científicas que associem o uso da medicação a um suposto aumento de câncer. Pelo contrário, o médico ressaltou que ter psoríase aumenta o risco de câncer e traz uma incidência aumentada, sendo indispensável, portanto, tratar os pacientes.
O processo de escolha do melhor imunobiológico para o paciente foi o tema trazido na aula ministrada pela médica Anelise Rocha Raymundo (PR). Ela fez a apresentação de forma remota para os presentes no evento.

“Psoríase não tem cura, mas há muitas opções de tratamento. Selecionar e prescrever o melhor imunobiológico é só uma das partes. É preciso olhar o paciente por inteiro e identificar que cada um vai ter uma medicação que é melhor para si”, afirmou.

A palestra seguinte foi do médico Caio de Castro (PR). Ele trouxe perspectivas das novas moléculas para o tratamento do vitiligo.

Uma das doenças mais recorrentes nos consultórios é a dermatite atópica. O tema foi trazido pelo palestrante médico Daniel Lorenzini que mostrou estudos comparativos feitos a partir do uso de diferentes medicações. A meta-análise foi feita com medicamentos no mercado dos Estados Unidos e Europa, havendo disponibilidade parcial dos medicamentos no Brasil até o momento. Os estudos levam em conta o EASI Score, uma ferramenta usada para medir a extensão e severidade da doença.

As opções para o tratamento da urticária crônica espontânea foram apresentadas pela médica Lia Pinheiro Dantas.

“Temos de entender e explicar para o paciente que é uma doença crônica”, salientou.

A doença é caracterizada pela ocorrência diária ou quase diária de urticas e/ou angioedema por um período maior do que seis semanas, sem que estes sejam causados por alimentos, cosméticos ou, produtos de limpeza, por exemplo.

O tratamento para o carcinoma cutâneo avançado foi o tema da aula do médico oncologista Antonio Dal Pizzol Jr. Em sua explanação ele lembrou a dificuldade que o tratamento impõe diante de uma realidade de medicamentos muito caros.

Ao final da tarde, o simpósio “Quando iniciar o tratamento com imunobiológicos para a hidradenite supurativa”, foi apresentado pela médica Juliana Boza. O encerramento contou com simpósio sobre Fios de PDO, técnica usada no tratamento da pele apresentada por Andréia Fogaça e Célia Kalil de forma Online Híbrido e com moderação da vice-presidente da SBD-RS, Rosemarie Mazzuco.

O evento está sendo realizado de forma híbrida com atrações online e presenciais, no Hotel Hilton, em Porto Alegre (RS). A programação prossegue ao longo do sábado (19/03) com as atividades iniciando as 8h50min e indo até as 18h. Mais detalhes podem ser conferidos no site https://sbdrs.org.br/jornada/ A realização é da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Secção RS.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Sobre a SBD/RS

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) é a única instituição reconhecida oficialmente pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Médica Brasileira (AMB) como representante dos dermatologistas no Brasil. Os médicos dermatologistas a ela ligados precisam obter o Título de Especialista que atesta a sua capacitação.

 

A secção SBD-RS é a sua representante no território do Rio Grande do Sul.

Publicações recentes

Conecte-se

Este site utiliza cookies

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Se de acordo, clique em ACEITAR ao lado.