Exposição excessiva ao sol prejudica a pele mesmo na sombra

Fortes raios solares exigem cuidados até quando o contato não é direto

Ao contrário do que se imagina, a sombra não é garantia de proteção e precaução aos raios solares. A força com que os ultra-violetas incidem sobre a pele requer cuidados, até mesmo quando estamos protegidos pelas nuvens, em dias de tempo fechado. A médica dermatologista e presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia Secção-RS (SBD-RS), Taciana Dal’Forno Dini, alerta para a importância de informar a população que os dias nublados também trazem riscos.

– Os consultórios dermatológicos estão lotados de pacientes, que após exposição excessiva, mesmo em dias que o sol não está aparente, apresentam queimaduras extensas. É preciso lembrar às pessoas que as nuvens filtram apenas uma parte da radiação solar, mas a grande maioria ultrapassa. Quanto menos espessa a nuvem, maior quantidade de radiação passa através dela – explica a médica.

Em tempos abafados e de calor excessivo, os horários mais seguros para se expor ao sol são os seguintes: antes das 9h e após as 16h.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Sobre a SBD/RS

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) é a única instituição reconhecida oficialmente pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Médica Brasileira (AMB) como representante dos dermatologistas no Brasil. Os médicos dermatologistas a ela ligados precisam obter o Título de Especialista que atesta a sua capacitação.

 

A secção SBD-RS é a sua representante no território do Rio Grande do Sul.

Publicações recentes

Conecte-se