Fique atento à sua pele

Se você observar na sua pele ou, em alguém de seu círculo de relações, pintas, sinais, “verrugas”, feridas que sangram, que não cicatrizam, que tiveram modificação de cor ou aumento de volume, procure um médico dermatologista para fazer uma avaliação. O profissional fará o exame clínico e analisará quais os tipos de lesões que você tem. Podem ser diagnosticadas lesões benignas, lesões pré-malignas ou até um câncer de pele.

Cada lesão tem um tipo tratamento ou até nenhum tratamento, se for considerada benigna. O médico dermatologista acumula conhecimentos durante toda a sua vida profissional, realizando estudos de aperfeiçoamento para aprimorar sua capacidade. Através do exame dermatológico e de técnicas complementares de diagnóstico, ele consegue diferenciar as diversas patologias cutâneas. Uma das ferramentas de auxílio para o diagnóstico de tumores cutâneos chama-se Dermatoscopia. Esse exame é realizado durante a consulta dermatológica. O dermatoscópio é um aparelho que funciona como um microscópio portátil através do qual o médico dermatologista consegue visualizar as lesões de pele em grande aumento e correlacionar as características específicas para chegar a um diagnóstico correto. Isso é particularmente importante no diagnóstico diferencial de tumores de pele.

Leva-se em conta a idade do paciente, a cor de pele, alterações na forma ou coloração da lesão, a área do corpo afetada, o grau de exposição solar ao longo da vida, a história pessoal e/ou familiar de câncer de pele, se a lesão é congênita ou adquirida, o tempo de evolução, etc, além das características dermatoscópicas propriamente ditas. O médico vai determinar qual a conduta a ser seguida baseando-se nessa análise. Se for detectada uma lesão pré-cancerígena existe um tratamento medicamentoso. Se o dermatologista suspeitar que se trata de um câncer ele realizará uma biópsia de pele, com anestesia local, para a comprovação. Em caso de lesões pequenas pode-se retirar toda a lesão nesse mesmo ato. Em caso de maior complexidade o paciente será encaminhado para um cirurgião oncológico. Vestimentas, protetores solares (que devem ser reaplicados após prolongados períodos sob o sol ou a água) e não se expor ao sol em horários de maior radiação ultravioleta são regras de ouro a serem seguidas. Máscara facial e lavagem das mãos nos protegem da Covid-19. Protetor solar e moderação na exposição ao sol nos protegem do fotoenvelhecimento e do câncer de pele.

Cuide-se.

Autor(a): Dra. Claudia de Menezes Meyer | CRM 14505

A SBD-RS não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos apresentados na Palavra do Dermato. O artigo apresentado acima é de total responsabilidade do autor.

 

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Conecte-se

Este site utiliza cookies

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Se de acordo, clique em ACEITAR ao lado.