PALAVRA DO DERMATO – Cirurgias para o tratamento do câncer da pele

A cirurgia é a melhor opção de tratamento para os 3 tipos de câncer da pele causados pelo sol, entretanto existem variações.

Melanoma:

O tratamento do melanoma é realizado em duas etapas. A primeira consiste em retirar a lesão suspeita, com margem de 1-2 milímetros de pele sã e enviar para exame anatomopatológico, para confirmar o diagnóstico e medir a espessura do tumor em profundidade. É esta medida que definirá como será a segunda etapa de cirurgia: o quanto de pele a mais deverá ser retirada (margem de segurança) e se há necessidade de examinar os linfonodos (ínguas) que drenam esta região.

Carcinomas basocelulares e carcinomas epidermoides:

Incidem mais na face e dividem semelhanças no tratamento.

Tumores pequenos e iniciais, podem ser submetidos à eletrocirurgia, com bisturi elétrico e raspagem prévia. Também à criocirurgia que consiste na destruição do tumor através do congelamento das células com nitrogênio liquido.

A grande maioria das lesões é tratada com cirurgia convencional em que o tumor é removido com alguns milímetros de pele sã, por segurança. O fechamento é com pontos juntando as bordas ou por transferência de pele próxima ou por colocação de pele retirada de outra região como nos enxertos. A chance de retorno é baixa.

A cirurgia Micrográfica de Mohs é a única técnica que consegue examinar toda a margem de segurança para detectar pequenos resíduos de tumor que não são vistos a olho nu. Este rastreamento é feito durante a cirurgia, poupa tecido são e oferece altos índices de cura.

Está indicada para tumores de comportamento biológico agressivo como os carcinomas basocelularese esclerodermiformes, infiltrativos, carcinomas epidermoides pouco diferenciados ou quando invadem nervos. Também, quando os limites do tumor não são nítidos, nos operados em que sobrou tumor ou que recidivaram, nos maiores de 2 cm em face e nos localizados ao redor dos olhos, nariz,orelhas e dedos para poupar tecido são.

Como a maioria destes tumores são pequenos, a retirada costuma ser realizada sob anestesia local, em consultórios equipados, ou a nível ambulatorial, não necessitando internação hospitalar. E os resultados cosméticos, muito bons.

Autora: Dra. Suzana Vozari Hampe – Dermatologista SBD-RS

A SBD-RS não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos apresentados na Palavra do Dermato. O artigo apresentado acima é de total responsabilidade do autor.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Conecte-se