Rosácea – Dra. Juliana Catucci Boza

Rosácea é uma doença vascular inflamatória crônica, com remissões e exacerbações. A apresentação mais comum é de eritema (vermelhidão) e telangiectasias (vasos) na região central da face, que pode ou não ser acompanhada de pápulas e pústulas. Pacientes com rosácea normalmente tem a pele mais eritematosa e sensível. Outra forma de apresentação é a fimatosa, levando a aumento gradual e espessamento da pele, sendo o nariz o local mais comumente atingido. Pode ocorrer acometimento dos olhos também, podendo se manifestar com vermelhidão, olho seco e sensível ou inflamação nas bordas palpebrais (blefarite). Algumas vezes a doença é confundida com acne. Ocorre principalmente em adultos entre 30 e 50 anos de idade.

A origem da rosácea ainda não é conhecida. Há uma predisposição individual (mais comum em descendentes de europeus), pode ser familiar (30% dos casos têm uma história familiar positiva), evidenciando uma possível base genética. Há influência de fatores psicológicos, alguns tipos de alimentos, bebidas alcoólicas e radiação ultravioleta. Por isto é importante realizar uma avaliação com o dermatologista, a fim de definir quais os melhores produtos para o tratamento e também o que está mais indicado para uso tópico, como sabonetes, cremes e protetor solar.

Existe mais de uma forma de apresentação:

– Eritemato-telangectasica – Subtipo1: evidenciada por vasos na região acometida.

– Papulopustulosa – Subtipo2: pode ser confundida com acne.

– Fimatosa (Rinofima) – Subtipo3 – aumento gradual do nariz por espessamento e dilatação dos folículos.

– Ocular – Suptipo 4: pode acompanhar qualquer uma das outras formas ou vir sozinha também.

Rosácea é uma doença que requer tratamento, para isso é fundamental uma avaliação com o dermatologista. Os tratamentos disponíveis atualmente são capazes de controlar as mais diferentes formas da doença. A escolha do tratamento irá depender da forma que a doença se apresenta. Podem ser utilizados agentes tópicos ou por via oral. Além disso a luz pulsada e alguns tipos de laser, como o Pulsed Dye Laser, podem ser indicados para tratar o componente vascular. A rotina de cuidados diários com produtos específicos para pele sensível e o uso de protetor solar são fundamentais, assim como evitar possíveis fatores desencadeantes ou agravantes.

Autor: Dra. Juliana Catucci Boza

A SBD-RS não se responsabiliza pelo conteúdo dos artigos apresentados na Palavra do Dermato. O artigo apresentado acima é de total responsabilidade do autor.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

O autor

Conecte-se